segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Vitamina C pode piorar resistência de atletas, sugere estudo

Cobertura especial – 30º Congresso Mundial de Medicina do Esporte

24/11/2008


Pesquisa espanhola analisou os efeitos da ingestão da substância em humanos e ratos durante um programa de treinamento. Substância é freqüentemente usada por desportistas para combater o estresse oxidativo.



Dublin (Irlanda) – Estudo realizado pela Universidade de Valencia e apresentado durante o 30º Congresso Mundial de medicina Esportiva, em Barcelona, concluiu que a suplementação de vitamina C diminui a eficiência do treinamento na medida em que evita algumas adaptações celulares ao exercício. A pesquisa (duplo cega e randomizada) analisou os efeitos da substância em 14 homens e 24 ratos machos e identificou que a administração de vitamina C dificultava significativamente a capacidade de resistência em ambos os grupos.



Segundo o pôster do estudo, os efeitos adversos podem ser explicados pela diminuição da expressão induzida pelo exercício dos fatores chave de transcrição envolvidos na biogênese das mitocôndrias (organelas celulares), especificamente: PGC-1, NRF-1 e mTFA.



“A vitamina C também impediu a expressão induzida, pelo exercício, do citocromo C (um marcador de conteúdo mitocondrial) e das enzimas antioxidantes superóxido dismutase e glutationa peroxidase”, afirmam os autores no artigo.



Eles destacam que os praticantes de esporte freqüentemente tomam vitamina C, pois o exercício exaustivo gera estresse oxidativo, o que pode causar lesão tecidual. Entretanto, há um debate considerável com relação aos efeitos benéficos deste procedimento como demonstrado no estudo.




Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)
Postar um comentário